natal na escola secundária de Arraiolos



Fim de tarde no Natal de 2019. 
Foto do trabalho em papel feito pelos alunos do quinto ano da professora Luzia Pequito. 

Vista interior da fachada Norte-Noroeste. Em plano de fundo e por entre o nevoeiro do fim do dia vemos, à esquerda da imagem, o último cabeço das colinas de Arraiolos ocupado por uma bucólica quinta agrícola; no centro da fotografia e numa com cota ligeiramente inferior à colina do castelo de Arraiolos, avistamos o campo relvado de futebol da nossa escola posicionado numa rechã confluente entre as supra mencionadas colinas.

Estamos na extrema da Bacia do Tejo que abrange Arraiolos a oeste e a norte: o rio Almansor e as suas ribeiras de S. Pedro, Arraiolos, Divor e Cabido drenam e modelam a paisagem.

Note-se que Arraiolos abrange uma área de cabeceiras de redes hidrográficas, pertencentes a três bacias: a parte oriental e sueste, drenada pelo rio Degebe e pela ribeira de Machede, pertencem à bacia do Guadiana; os sectores norte e ocidental escoam para o Tejo e uma pequena área no limite sul da folha geológica, drenada pelo rio Xarrama e por tributários da ribeira das Alcáçovas, faz parte da bacia hidrográfica do Sado.

a importância dos registos de aula



Ver exemplo de um caderno de 7º ano: https://pt.scribd.com/document/95777915/Caderno-de-geografia-do-7%C2%BA-ano-2011-2012-Escola-Secundaria-Fernao-Mendes-Pinto

OS CADERNOS DE GEOGRAFIA  

Nos primeiros tempos achei-os irrelevantes nas avaliações. Eu próprio, enquanto aluno, usava folhas soltas dobradas no bolso porque sempre seria mais interessante procurar por conteúdos e autores pertinentes ou manter uma boa discussão em sala de aula.

Mas o caderno escolar tem as suas vantagens. Obriga o aluno à escrita e ao consequente momento de concentração. É prova material do trabalho feito pelo professor em sala de aula. Por outro lado, nos últimos 19 anos vi crescer exponencialmente o número de «leitores» desinteressados bem como o número de alunos que raramente, muito raramente escrevem. E, se levar os alunos à Leitura é uma excelente iniciativa, melhor será levá-los à escrita - o mais complicado e belo processo de inteligência.

É sobretudo isto. Obrigar o aluno à escrita, ao silêncio do trabalho.


O Chão do Parque do Zé Menos
é o grande disco da música
portuguesa de 2019.  

Imagem do Ípsilon. Público, 06/12/2019. https://www.publico.pt/culturaipsilon/musica

como avaliar o trabalho de pesquisa em Geografia C ?



Um video para dar um gosto do que será o segundo período lectivo

Seguem os detalhes dos elementos sujeitos a avaliação:

o contributo do fenómeno Greta para a educação ambiental




AA.VV Retirado da rede Instagram e reutilizado por uma aluna numa apresentação oral da disciplina de Inglês.





NÃO ESTUDAR ENQUANTO PROTESTO AMBIENTAL  

Greta Thunberg  quando tinha 15 anos recusou frequentar a escola às sextas-feiras até o governo sueco enfrentar politicamente as alterações climáticas que levarão o mundo ao colapso total num prazo de 12 anos (agora 11 anos) - primeiro ficou sentada ao portão da sua escola, depois levou o protesto para o parlamento da Suécia e, em Outubro de 2018, para a imprensa mundial.

Foi rapidamente convidada para falar na Assembleia Geral da ONU. Inspirou jornalistas e toda a elite política dos países Ocidentais, tendo sido nomeada para o Prémio Nobel da Paz de 2019 com este discurso:

Vocês roubaram-me os sonhos e a minha infância com suas palavras vazias.
As pessoas estão sofrendo.
Pessoas estão morrendo.
Ecossistemas inteiros estão entrando em colapso.
Estamos no início de uma extinção em massa. E tudo o que vocês sabem falar é sobre dinheiro e um [milagroso] eterno crescimento económico.

Como vocês se atrevem !!


ESTUDAR ENQUANTO FORMA DE ACÇÃO AMBIENTAL  

Boyan Slat  tinha apenas 15 anos de idade quando recebeu o prémio de Campeão da Terra das Nações Unidas, em 2014, pelos seus esforços de limpeza dos oceanos de plásticos à deriva. Estudou à séria e meteu-se em engenharias.

Um novo sistema, por si projectado, conseguiu colectar micro plásticos de 1 milímetro. Mas demorou seis anos, milhões de dólares e diversas tentativas frustradas para ter sucesso.

É o projecto Ocean Cleanup e espera-se que aumente em breve sua frota de barreiras flutuantes de 600 metros de comprimento para o arrasto e captura de plástico.

Boyan Slat sempre reconheceu a importância de prevenir a poluição, não apenas limpá-la. Mas por agora, a primeira Meta passa por remover 50% do Great Pacific Garbage Patch nos próximos cinco anos e 90% do plástico oceânico até 2040, um esforço que, segundo ele, exigirá cerca de 60 dispositivos.




Greta Thunberg discursou nas Nações Unidas: 2019 United Nations Climate Action Summit.