localização e organização territorial de portugal



Imagem do Anuário Estatístico de Portugal -  2015 (INE 2016)



Portugal continental localiza-se no extremo Sudoeste da Europa continental, entre os paralelos 36º 57’ 42’’ e 42º 09’ 15’’, de latitude Norte, e entre os meridianos 06° 11’ 20’’ e 09º 31’ 01’’, a Oeste do meridiano de Greenwich.

O Continente português ocupa uma área de cerca de 89 mil km2 e apresenta um perímetro de cerca de 2,6 mil km, metade do qual corresponde à linha de costa com o Oceano Atlântico e o restante à fronteira, a Norte e a Este, com Espanha. Portugal continental tem uma forma aproximadamente retangular, com um comprimento máximo de 577 km entre os pontos extremos, a Norte, na confluência da Foz do Rio Trancoso com o Rio Minho (em Melgaço) e, a Sul, o Cabo de Santa Maria (no Algarve). A largura máxima do território continental regista-se entre os pontos extremos, a Este, o Rio Douro, na fronteira com Espanha e, a Oeste, o Cabo da Roca; porém, considerando a região NUTS I Continente[NUTS: Nomenclatura comum das unidades territoriais estatísticas, estabelecida pelo regulamento comunitário n.º 1059/2003], a largura estende-se até à Ponta da França (Berlenga, município de Peniche), a Oeste, alcançando 286 km.

Portugal insular integra os arquipélagos dos Açores e da Madeira no Oceano Atlântico com uma superfície de 2,3 mil km2 e de 801,5 km2, respetivamente.

O arquipélago da Madeira é constituído pelas ilhas da Madeira e do Porto Santo e pelos ilhéus Desertas e Selvagens.

O arquipélago dos Açores é formado por nove ilhas principais, divididas em três grupos de acordo com o posicionamento geográfico: o grupo ocidental (Flores e Corvo), o grupo central (Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial) e o grupo oriental (Santa Maria e São Miguel)[O grupo oriental inclui ainda um grupo de rochedos e recifes oceânicos, situado a Nordeste de Santa Maria, chamado Ilhéu das Formigas].




Em Portugal continental, distinguem-se dois tipos de relevo sensivelmente divididos pelo rio Tejo.
A Norte, predominam as paisagens montanhosas com altitudes médias mais elevadas enquanto, a Sul, marcam presença vastas planícies, sendo os sistemas montanhosos menos frequentes.
A Sul do Continente, destaca-se apenas o sistema montanhoso de São Mamede, no Alentejo, com uma altitude máxima que supera ligeiramente os mil metros.

Os sistemas montanhosos portugueses de maior altitude tendem a concentrar-se nas regiões Norte e Centro do Continente, mas também nas regiões autónomas.
Na Região Autónoma dos Açores, na ilha do Pico, o território nacional apresenta a sua altitude máxima com 2 351 metros e, na Região Autónoma da Madeira, identificam-se seis picos com altitudes máximas superiores a 1 500 m. Com altitudes máximas superiores a 1 500 m, evidenciam-se, no Continente, os sistemas montanhosos da Estrela (que alcança perto de dois mil metros de altitude), do Gerês e do Larouco.




Os principais cursos de água assumem, predominantemente, uma orientação Este-Oeste. É o caso dos dois maiores rios, em termos de extensão e de bacia hidrográfica, que percorrem o território continental português – Tejo e Douro – e que têm em comum o facto de terem a nascente em Espanha. Os rios Guadiana, que corre de Norte para Sul, e Sado e Mira, que assumem uma orientação predominantemente Sul-Norte, constituem as principais exceções à orientação Este-Oeste. Os rios Cávado, Vouga, Mondego, Sado e Mira têm a particularidade de nascerem em território português e apresentarem uma extensão superior a 100 km.



Em 2015 [são os dados mais recentes do INE] manteve-se a tendência de diminuição da população residente, iniciada em 2010.
A quebra da taxa de crescimento efetivo foi menos acentuada em 2015 do que nos três anos precedentes devido ao amortecimento da redução da taxa migratória.
A população absoluta estimada é de 10 341 330 indivíduos, menos 232 149 do que em 2009, ano em que se alcançou o nível máximo.
A taxa de crescimento efetivo foi de -0,32% (que compara com a média de -0,53% entre 2012 e 2014).