TEMA TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES | EXAME 2018 FASE 2







17. A rede de transporte de gás natural em Portugal continental, representada na Figura 5, tem uma extensãode 1300 km, aproximadamente, e já existem projetos de investimento com vista à sua ampliação. A rede dispõe de Unidades Autónomas de Gás (UAG) abastecidas por modo rodoviário, de uma caverna para armazenamento de gás e de um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL), além dos gasodutos.
Fonte: www.galpgasnaturaldistribuicao.pt (consultado em setembro de 2017) (adaptado).




17.1. Considere as afirmações I, II e III, que se referem à análise da Figura 5 e ao conhecimento adquirido sobre as redes de transporte de energia.

Selecione a opção que identifica corretamente as afirmações verdadeiras e as falsas.
I. A rede de gasodutos está conectada diretamente com o Médio Oriente. 
II. A rede de gasodutos caracteriza-se pela elevada densidade de ligações e por estar distribuída de forma equilibrada no território. 
III. Os nós da rede apresentam fraca conectividade.
(A) I e III são verdadeiras; II é falsa. 
(B) II é verdadeira; I e III são falsas. 
(C) III é verdadeira; I e II são falsas. 
(D) I e II são verdadeiras; III é falsa.



17.2. Portugal recebe gás natural de países como a Argélia, a Nigéria, o Qatar e Trinidad e Tobago. As letras X e V, assinaladas na Figura 5, correspondem a dois pontos de entrada de gás natural em Portugal continental.

Dos países referidos, identifique o principal país fornecedor do gás natural que entra pelo ponto X e o principal país fornecedor de gás natural que entra pelo ponto V.
R.:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ _ _ _



17.3. No Alentejo, a localização das Unidades Autónomas de Gás (UAG), identificadas na Figura 5, deve‑se
(A) à proximidade da rede de gasodutos existente na região. 
(B) à existência de pontos de entrada de gás natural no país. 
(C) à existência de infraestruturas de extração de gás natural do subsolo. 
(D) à proximidade de centros urbanos e de áreas industrializadas.


18. A inserção de Portugal na Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T) pode ser potencializada através do desenvolvimento das autoestradas do mar, que visam
(A) intensificar o fluxo de mercadorias com os portos do norte e do sul da Europa, reduzindo o tráfego nos pontos de congestionamento terrestre. 
(B) assegurar o transporte de mercadorias entre o norte e o sul do país, reduzindo as emissões de CO2 por unidade de produto transportado. 
(C) integrar uma rede multimodal à escala mundial, intensificando o comércio com as diferentes regiões asiáticas e americanas. 
(D) promover o transporte intermodal à escala regional, criando condições de abastecimento diário das áreas metropolitanas.


18. A inserção de Portugal na Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T) pode ser potencializada através do desenvolvimento das autoestradas do mar, que visam
(A) intensificar o fluxo de mercadorias com os portos do norte e do sul da Europa, reduzindo o tráfego nos pontos de congestionamento terrestre. 
(B) assegurar o transporte de mercadorias entre o norte e o sul do país, reduzindo as emissões de CO2 por unidade de produto transportado. 
(C) integrar uma rede multimodal à escala mundial, intensificando o comércio com as diferentes regiões asiáticas e americanas. 
(D) promover o transporte intermodal à escala regional, criando condições de abastecimento diário das áreas metropolitanas.

VER CORRECÇÃO