onde estão os relâmpagos e chuva? O estado do tempo em tempo real




Ferramentas para análise sinóptica do estado do tempo em tempo real [actualizações até 3 minutos]

 O Windy TV é das mais interessantes ferramentas para as aulas de Geografia. Tem tudo o que é meteorologia para o público com imensa qualidade e precisão, só lhe falta integrar uma decente representação radar em espectro visível do estado do tempo.

Usem a barra das horas, na parte inferior da imagem, para escolher uma previsão meteorológica - as visualizações das previsões funcionam de 3 em 3 horas.

um mapa com os castelos que existem na bandeira de Portugal



A EXPLICAÇÃO E A GEO LOCALIZAÇÃO DOS 7 CASTELOS DA NOSSA BANDEIRA 

No escudo da Bandeira Nacional de Portugal figuram sete castelos em volta das cinco quinas os quais representam 7 fortificações pertencentes ao Algarve. 
Figuram sete castelos em volta das cinco quinas os quais representam as fortalezas de Estômbar, Paderne, Aljezur, Albufeira, Cacela, Sagres e Castro Marim, todos pertencentes ao Algarve.

O geógrafo Rui Santos tem um vasto reportório de quizz e «curiosidades geogáficas» para levarmos aos alunos de SIG (sistemas de informação geográfica) do ensino básico. No caso, uma interessante exploração da ferramenta Maps Online da ESRI.

Anthony Bourdain RIP




MORREU EM VIAGEM O MÍTICO ANTHONY BOURDAIN.
DESCOBRIU PORTUGAL EM 4 VIAGENS GASTRONÓMICAS


A primeira visita aconteceu em 2002, a bordo do programa ‘A Cook’s Tour’. O chef e apresentador gravou o sétimo episódio da primeira temporada na cidade do Porto.


A segunda vez foi em 2009, nos Açores, a propósito do programa ‘No Reservations’ Anthony Bourdain passou pelas ilhas de S. Miguel, Ponta Delgada, Faial, Pico e São Jorge. O chef esteve com vários habitantes e almoçou e almoçou e jantou em restaurantes típicos e até em casas de famílias. Ordenhou cabras, provou linguiça e assistiu à confeção do cozido das furnas, do polvo guisado do Pico e das ameijoas da Caldeira de Santo, em Lisboa. Quando provou o cozido das furnas, Anthony Bourdain descreveu o prato como “fantástico”.


A terceira passagem aconteceu em dezembro de 2011, no mesmo programa. O episódio, que foi emitido em 2012, foi passado em Lisboa. O chef provou, além de outras coisas, polvo assado e a tão portuguesa bifana. Esteve na Cervejaria Ramiro com os chefs José Avillez e Henrique Sá Pessoa, foi aos fados com António Lobo Antunes, conversou com os Dead Combo.
Mais tarde voltou a encontrar José Avillez no restaurante Cantinho do Avillez, onde almoçou com Tozé Brito. Jogou chinquilho — ou malha — com Ljubomir Stanisic e passou no Bistro 100 Maneiras. O reecontro com Sá Pessoa aconteceu numa passagem pelo Mercado de Alvalade, à qual se seguiu uma visita ao restaurante Alma, do mesmo chef, para comer com José Diogo Quintela. Para Anthony Bourdain, Lisboa tem tudo: “música, uma costa incrível, marisco, história, arquitetura”, diz durante o episódio.


A quarta e última visita foi em fevereiro de 2017, já num novo programa: ‘Parts Unknown’. Anthony Bourdain voltou à cidade onde tinha gravado o primeiro programa em Portugal: o Porto, Foi emitido em Portugal em agosto. Entre outras coisas, Anthony Bourdain viu como se faz (e provou) a tão típica francesinha, no restaurante O Afonso. “Qual é o índice per capita de doenças cardíacas neste país? Só por curiosidade”, brincou o chef.
A VIDA NA CIDADE:
COMO REAGIR A ATAQUES COM CÃES?


Nos últimos 15 anos a moda dos cães de fila sem treino tem levantado problemas. Os ataques podem ser inesperados.

atividades para alunos que faltaram nas últimas semanas

nota:
na turma 7C, uma simpática aluna faltou por motivos de saúde nas últimas semanas. O que fazer com tão pouco tempo?
Proponho a georeferenciação de páises e suas capitais conforme a Norma Geográfica M-49 das Nações Unidas.





Fonte: Norma UN M.49 (standard M.49). Revista em 11 Outubro de 2012.

WORLD – MUNDO [designações internacionais]
AFRICA
AMERICAS
ASIA
EUROPA
OCEANIA

Eastern Africa
Latin America and Caribbean
Central Asia
Eastern Europe
Australia and New Zealand

Middle Africa
Caribbean
Eastern Asia
Northern Europe
Melanesia

 Northern Africa
Central America
Southern Asia
Southern Europe
Micronesia

Southern Africa
South America
South-Eastern Asia
Western Europe
Polynesia

Western Africa
Northern America  
Western Asia





Em Janeiro de 2015 a ONU reconhecia a existência de 193 países.
Contudo, a mesma ONU admite, em documentação distinta, a existência de 194 ou 195 países (considerando-se por vezes o Vaticano e os Territórios Palestinianos como estados soberanos).
Fonte: Norma M49 das Nações Unidas 

Norma M49 da Divisão de Estatística das Nações Unidas divide o mundo em Regiões Geográficas e lista todos os países do mundo.

Em baixo a lista com os países em azul; os territórios em negrito e sem tradução.


AMERICAS (20 territórios de soberania especial; 35 países)

América do Norte
(2 países) 
01
Bermuda

02

03
Greenland

04
Saint Pierre and Miquelon

05


Caraíbas
(13 países) 
01
Anguilla
02
03
Aruba
04
05
06
Bonaire
07
British Virgin Islands
08
Cayman Islands
09
10
Curaçao
11
12
13
Guadeloupe
14
15
16
Martinique
17
Montserrat
18
Puerto Rico
19
20
Saint-Barthélemy
21
22
23
Saint Martin (French part)
24
25
Sint Maarten (Dutch part)
26
27
Turks and Caicos Islands
28
United States Virgin Islands

América Central 
(8 países)
01
02
03
04
05
06
07
08

América do Sul 
(12 países)
01
02
03
04
05
06
07
Falkland (Malvinas)
08
French Guiana
09
10
11
Peru 
12
13
14


ossos: arqueologia junto à Sé de Évora e a Leonor a adorar








OSSADAS A DOIS PALMOS DO CHÃO DO CENTRO HISTÓRICO DE ÉVORA:

A escavação arqueológica ocorreu ao longo do Verão de 2009, no largo Mário Chicó, junto à fachada norte da Sé de Évora.

Por informação directa dos arqueólogos presentes confirmaram-me terem sido encontrados inúmeros esqueletos e vestígios datados do século XVII mas, porque o lugar sempre foi densamente povoado, é provável encontrar vestígios de épocas anteriores.

Os trabalhos de escavação foram impressionantes mas discretos. Ao longo dos escaldantes dias de Junho, quem passava para almoçar na comunidade alternativa, e centro de meditação, Maria Inácia, pôde acompanhar o lento levantamento de diversas ossadas. Felizmente, resolvi, no momento, criar um pequeno video com a pequena Leonor  a dar-lhe alguma escala e um claro ar despretensioso.



"Não é uma vala comum. A quantidade de enterramentos humanos deve-se ao uso do espaço como cemitério nas proximidades da Sé catedral sendo prática normal até ao século XIX. Tratando-se do principal cemitério antigo da cidade de Évora, em época Medieval e Moderna, é habitual a grande concentação de sepulturas da população urbana num espaço tão reduzido. A época do cemitério ainda não está definida, integrando-se na época moderna (provavelmente séc. XVI-XVII.


A escavação continuará até atingir o substrato geológico do lugar, pelo que se prevê descobrir fases mais antigas da ocupação da cidade de Évora (época Romana e época Medieval)".


adaptado da nota informativa de Félix Teichner, empresa Arkhaios, afixada no sítio da escavação









CONTEXTO DOS TRABALHOS DE ARQUEOLOGIA E INVESTIGAÇÕES POSTERIORES:

Resta dizer que a escavação está integrada no Plano de Intervenções Municipais da CM de Évora, no âmbito do Programa Acrópole XXI, que intervencionou nesse ano (2009 e seguintes) parte do centro histórico eborense.

Posteriormente, em Setembro de 2015 publicaram-se os resultados de outros levantamnentos arqueológicos relacionados: https://www.publico.pt/2015/09/09/ciencia/noticia/ossos-de-antiga-prisao-de-evora-dao-voz-as-vitimas-da-inquisicao.


A Pegada Humana - documentário National Geographic numa ficha de avaliação



A RECENSÃO CRÍTICA DO DOCUMENTÁRIO «A PEGADA HUMANA»  

Para o pessoal do nono ano deixo-vos o "The Human Footprint" da National Geographic que passou na RTP2 em de 2007.

Cada aluno deve escrever um texto livre de uma página (cerca de 300 palavras) orientado por 4 parâmetros:

  1. Identificação da obra
  2. Sinopse
  3. Caracterizar 3 das principais ocorrências
  4. Esclarecer a principal mensagem (objectivo) do documentário

Não esqueçam que a escala geográfica do documentário reporta-se exclusivamente aos EUA, mas as inferências são válidas para nós portugueses pois também somos um país de IDH Muito Elevado (podem rever as matérias do primeiro período de geografia no nono ano...) com padrões de consumo semelhantes (por enquanto, claro).

Avaliação: Não se esqueçam que a análise deste documentário vai para os «Anexos» (para quem não é meu discente: «anexos» é uma colecção de Fichas de exercícios temáticos, anexa ao caderno de cada aluno) do terceiro período e deve ser minuciosa - aliás, como foi feita nas aulas não há como não escrever um belo texto...



A FINALIDADE DO DOCUMENTÁRIO «A PEGADA HUMANA»

[Adaptado do texto presente ao IMDB:]
Um documentário que nos revela como as nossas acções podem levar a consequências devastadoras e a graves repercussões ambientais... 
Alguma vez parou para pensar nas suas acções ao longo da vida?
Basta pensar em todas as coisas que produzimos e consumimos.
Imagine ver todos o alimentos que come empilhados em na sua frente, todas as latas de refrigerante que bebe, toda a água que utiliza, todas as roupas que compra, a quantidade de combustível que o seu carro consome, todos os resíduos que geram, todas as coisas que são utilizadas em cada dia…
 
Este documentário mostra-nos como as nossas acções podem levar a consequências devastadoras e a graves repercussões ambientais. Leva-nos a uma empolgante viagem para quantificar a média de vida americano. 
Os resultados são impressionantes, por vezes chocantes e outras cómicas, mas sempre revelando uma perspectiva diferente sobre um estilo de vida...

A-Ba-Ni-Bi - Eu Amo-te




  A-Ba-Ni-Bi - Eu Amo-Te  

[Adaptação do texto https://pt.wikipedia.org/wiki/A-Ba-Ni-Bi]

A-Ba-Ni-Bi é o canto inicial alfabeto hebraico: א-ב-ני-בי  e tem em português a tradução aproximada de um «Eu amo-te».

Em 1978 foi a canção que representou Israel no Festival Eurovisão da Canção e foi interpretada em hebraico por Izhar Cohen. O título em si é confuso, sem sentido e não passa de um jogo de palavras, contudo foi um sucesso. A letra fala do amor e diz-nos que deveríamos falar a língua do amor em vez da língua do segredo. Não deveríamos ocultar o nosso amor, mas sim expressá-lo.

Quando se começava a prever a vitória da canção israelita houve cortes de transmissão nos países do Norte da África e do Médio Oriente, a televisão jordana cortou a emissão e mostrou um ramo de narcisos, tudo porque estes países não desejavam a vitória de Israel por razões políticas. A imprensa jordana recusou reconhecer a vitória de Israel e anunciaram que a canção vencedora fora a da Bélgica.

Referências:
O'Connor, John Kennedy. The Eurovision Song Contest 50 Years The Official History. London: Carlton Books Limited, 2005. ISBN 1-84442-586-X
Gisella Farrell (2005). The Sun Online - Fifty Years of Eurovision. Página visitada em 2006-07-15.



I love
Love you

When we were children
We would love in secret
Who were we nice to?
Only to uncles and aunts

And the poor girls suffered
Those sweethearts, they’d just get beaten up
And what we really felt
We whispered only in the Bet language

I love
I love you

Love is a beautiful word
It’s a wondrous prayer, it’s a language
Love is good to me
It will always overcome
And we shall speak in a language of love

I love
I love you

I dream and I wake up to three words
And what is the world? Three words
And that is how I feel now
Just like back then, in the Bet language

I love
I love you

quem inventou a expressão Radical Chic foi Tom Wolfe




O mítico Tom Wolfe no mítico programa Firing Line em 1970 

Radical chic são os membros das elites armados em progressistas revolucionários  

Radical chic é o termo inventado por Tom Wolfe no seu ensaio de 1970 "Radical Chic: That Party at Lenny's", publicado na New York Magazine.

Neste artigo de 1970 Tom Wolfe descreve a pretensiosa e manienta adopção de posturas radicais esquerdistas por celebridades e membros da alta sociedade.

o escritor Tom Wolfe entrevistado no verão de 1975 no programa Firing Line




William F. Buckley Jr. entrevistou Tom Wolfe no programa Firing Line  

Tom Wolfe morreu nesta primavera de 2018, há três dias.

Jornalista e escritor norte-americano, conhecido por seu estilo marcadamente irônico. Nos EUA, é considerado um dos fundadores do new journalism, movimento jornalístico das décadas de 1960 e 1970.

Adaptado do texto de Miguel Esteves Cardoso:
«O seu livro "A Fogueira das Vaidades" é considerado ser o romance que melhor capta a essência da sociedade americana dos anos 80, e em particular a gananciosa, desregrada e racista elite financeira de Nova Iorque.»
[...]
«Foi autor de trabalhos que contribuíram para alargar as fronteiras da escrita jornalística, como o livro-reportagem The Electric Kool-Aid Acid Test, de 1968, no qual relata em primeira mão e num registo altamente experimental as experiências de uma célebre comunidade hippie da Califórnia, os Merry Pranksters, liderados pelo carismático Ken Kesey, que viajavam numa antiga camioneta escolar decorada com pinturas psicadélicas e consumiam doses maciças de LSD.»
In https://www.publico.pt/2018/05/15/culturaipsilon/noticia/morreu-o-jornalista-e-escritor-norteameircano-tom-wolfe-1830149



  Radical chic  

Radical chic é o termo inventado por Tom Wolfe no seu ensaio de 1970 "Radical Chic: That Party at Lenny's", publicado na New York Magazine.

Neste artigo de 1970 Tom Wolfe descreve a pretensiosa e manienta adopção de posturas radicais esquerdistas por celebridades e membros da alta sociedade.
SÃO BOAS AS BRINCADEIRAS BRUTAS ENTRE CRIANÇAS E PAIS ?

Nas escolas e família falta às crianças a parte física e bruta das suas brincadeiras de rua. Chegar sujo e com nódoas negras a casa faz parte de crescer.

10º ANO E EXERCÍCIOS COM EXAMES NACIONAIS - AULA 3: POPULAÇÃO E RECURSOS NATURAIS





PARA AS AULAS DE REVISÕES E CONSOLIDAÇÃO DE CLASSIFICAÇÕES INDIVIDUAIS

Nas próximas aulas os alunos devem responder em folha à parte a entregar no final da sessão.
Para evitar processos de arrastamento (ficar à espera das soluções), a correcção será feita na aula seguinte e após avaliação qualitativa do trabalho efectuado.

Teremos 4 sessões de trabalho até ao final do ano.

10º ANO E EXERCÍCIOS COM EXAMES NACIONAIS - AULA 2: CARTOGRAFIA E RECURSOS NATURAIS



PARA AS AULAS DE REVISÕES E CONSOLIDAÇÃO DE CLASSIFICAÇÕES INDIVIDUAIS

Nas próximas aulas os alunos devem responder em folha à parte a entregar no final da sessão.
Para evitar processos de arrastamento (ficar à espera das soluções), a correcção será feita na aula seguinte e após avaliação qualitativa do trabalho efectuado.

Teremos 4 sessões de trabalho até ao final do ano.

10º ANO E EXERCÍCIOS COM EXAMES NACIONAIS - AULA 1: POPULAÇÃO



PARA AS AULAS DE REVISÕES E CONSOLIDAÇÃO DE CLASSIFICAÇÕES INDIVIDUAIS

Nas próximas aulas os alunos devem responder em folha à parte a entregar no final da sessão.
Para evitar processos de arrastamento (ficar à espera das soluções), a correcção será feita na aula seguinte e após avaliação qualitativa do trabalho efectuado.

Teremos 4 sessões de trabalho até ao final do ano.
COMO É A ESCOLA NO BRASIL?

Mãe de aluna de sete anos mata assaltante na entrada da escola.

os 10 principais climas do mundo para o sétimo ano








MAPA SIMPLIFICADO DOS CLIMAS DO MUNDO  

Nos sétimos anos de Geografia usamos apenas 10 climas distribuídos por 3 zonas climáticas. Para os localizar temos os mapas mudos em cima.


NOTA:
O planisfério aqui apresentado com os 10 principais climas do mundo é conforme à tipologia portuguesa mais usada nas aulas de geografia do 3º ciclo.
É uma imagem editada do "Atlas Climático"(circa 2001) da editora escolar Santillana.

planisfério mudo para os alunos do nono ano



TRABALHO DE PESQUISA

Uma mapa para caracterizar e desenhar em papel vegetal 20 catástrofes ocorridas nos últimos dias

questionário para aulas: Onde Fica Isto?



Actividade de avaliação em 
http://geografia-concurso.blogspot.pt

onde podemos ver a aurora neste exacto momento?





MODELO DE PREVISÃO DE AVISTAMENTO DE AURORAS EM TEMPO REAL

Estas imagens são modelos matemáticos para estimar o grau de propabilidade de vermos uma aurora e foram produzidos pelos americanos do NOAA e Space Weather Prediction Center na Universidade Johns Hopkins University, Applied Physics Lab (o guru deste projecto é Patrick Newell).

As atualizações ocorrem em períodos de 30 a 60 minutos de modo a corresponder às interacções de ventos solares superiores a 800km/h em contacto com a nossa magneto esfera (tempestades geomagnéticas).

25 4 ever










Outro País (Sérgio Trefaut, 2000)

Cineastas estrangeiros famosos falam [falaram em 2000] do choque recebido há [40] anos quando desembarcaram em Portugal: a luta de classes estava nas ruas numa revolução que os deslumbrou. Chegavam da França, do Brasil, da Suécia, da Alemanha, dos EUA, da União Soviética. Aquilo que viam e sentiam tinha toques de situação extra terrestre.

Os cravos na boca dos fuzis, o povo a confraternizar nas cidades e nos campos com um exército que semanas antes estava ainda atolado na guerra colonial.
ver em "O desencanto e a esperança"

A última revolução romântica do século, para muitos uma impensável ameaça comunista, para outros um laboratório de sonhos e política, um espaço excitante para jovens e talentosos fotógrafos e realizadores. Pessoas como Sebastião Salgado, Glauber Rocha, Robert Kramer, Dominique Isserman, Santiago Alvarez, Pea Holmquist, Jean Gaumy, viajaram até Portugal e aí viveram Até a festa terminar.
ver em "Cinecartaz: Outro País"


Este é o melhor documentário de sempre sobre o 25 de Abril.

Cada sequência uma reflexão e uma história por contar, cada cena uma discussão. Este é um dos melhores documentários do mundo e, sem dúvida, o mais lúcido e bem conseguido sobre o 25 de Abril.

As imagens são fantásticas. Os melhores fotógrafos do mundo estiveram em Portugal em 1974 e, com eles, 25 anos depois, fez-se um «Olhar distanciado» e, portanto, reflexivo sobre a Grande Ilusão que foi a revolução portuguesa.

O que se seguiu ao golpe de estado foi uma bela e trágica ilusão.
Estava tudo errado. O processo foi desde o inicio uma impossibilidade mas na qual todos acreditaram.


nota:
sobre o filme é leitura obrigatória: 25 de Abril – Marca Registada

principais cadeias montanhosas de Portugal a estudar nas aulas









LISTA DE PRINCIPAIS CADEIAS MONTANHOSAS:  

EM PORTUGAL:
1-gerês
2-montemuro 
3-estrela 
4-arrábida
5-sintra 
6-ossa
7-são mamede 
8-caldeirão
9-monchique 
10-pico 
11-pico ruivo de santana

principais cadeias montanhosas a estudar






LISTA DE PRINCIPAIS CADEIAS MONTANHOSAS:  

NO MUNDO: 
1-Montanhas Rochosas
2-Apalaches
3-Andes 
4-Atlas
5-Monte Quilimanjaro 
6-Pirinéus
7-Alpes Escandinavos
8-Alpes
9-Alpes Apeninos
10-Alpes Dinários
11-Balcãs
12-Cárpatos
13-Cáucaso
14-Montes Urais 
15-Himalaias



NA EUROPA:  
1-Alpes Escandinavos
2-Alpes
3-Alpes Apeninos
4-Alpes Dinários
5-Balcãs
6-Cárpatos
7-Cáucaso
8-Montes Urais
9-Pirinéus

rádios de todo o mundo num SIG


clicar para ouvir

Radio.Garden é um projecto absurdamente fantástico.

filmes de Geografia para usar nas aulas de Geografia


ORGANIZADO POR TEMAS:

Clima
Meio Natural
Riscos e Catástrofes Naturais
Mapas e Modos de Localização
População e Povoamento
Migrações
Atividades Económicas
Transportes e Comunicações
União Europeia
Organizações Formais e Informais





A RTP recuperou filmes das últimas décadas úteis para o estudo das paisagens, da população, das actividades económicas ou dos problemas ambientais para usarmos nas aulas de Geografia.

Nota:
Os materiais deste RTP GEOGRAFIA foram organizados de acordo com o Programa Nacional de Geografia para o 3º Ciclo anterior às actuais Metas Curriculares. Esta desactualização obriga os professores a ter algum cuidado. Sugiro usarem a ferramenta de «Pesquisa».

mapear o mundo político atual num trabalho de pesquisa com o sétimo ano











UM TRABALHO DE PESQUISA SOBRE A NORMA GEOGRÁFICA M.49  DA ONU
MAPEAMENTO DO MUNDO POLÍTICO DAS NAÇÕES UNIDAS NA ATUALIDADE

Do aluno Miguel ferreira do 7C na Escola Cunha Rivara em Arraiolos.

Para além das regras de como fazer um trabalho, os alunos precisam de situações reais.
Apesar das adversidades materiais e logísticas da sala de aula, e, de calendário, à última hora, os alunos dos sétimos anos conseguiram excelentes resultados - fica aqui a ilustração mais conseguida.
Irei usar este exemplo com as próximas turmas de sétimo ano. Um obrigado ao Miguel F.