CORRECÇÃO DO TEMA ÁREAS RURAIS
EXAME DE GEOGRAFIA - 2015 FASE 1



[EXAME 2015, FASE 1]
[ GRUPO III ]


O olival constitui uma das principais culturas agrícolas em Portugal continental, apresentando contrastes na sua distribuição por região agrária, de acordo com a densidade de plantação.






1. O olival classifica-se como uma cultura
(A) permanente.
(B) arvense.
(C) hortícola.
(D) temporária.


2. As regiões agrárias onde, de acordo com os mapas da Figura 3, o olival ocupa menor área de plantação são
(A) Ribatejo e Oeste, Beira Interior e Trás-os-Montes.
(B) Entre Douro e Minho, Beira Litoral e Algarve.
(C) Entre Douro e Minho, Trás-os-Montes e Algarve.
(D) Beira Litoral, Ribatejo e Oeste e Beira Interior.


3. De acordo com a Figura 3, a densidade de plantação superior a 100 árvores/ha predomina
(A) em Trás-os-Montes, devido aos modelos de gestão implementados por sociedades agrícolas e à elevada humidade absoluta. 
(B) no Alentejo, devido ao investimento na fertilização natural dos solos e às características aplanadas do relevo. 
(C) no Alentejo, devido aos novos empreendimentos hidroagrícolas e à generalização do uso de máquinas nas colheitas. 
(D) em Trás-os-Montes, devido ao desenvolvimento do associativismo agrário e à utilização de mão de obra de baixo custo.


4. Os impactes ambientais da produção agroindustrial, como é o caso da produção do azeite, podem ser minimizados através
(A) da canalização direta dos efluentes para pedreiras desativadas e do encaminhamento dos resíduos para centrais incineradoras. 
(B) do lançamento direto dos efluentes em lagoas de evaporação e da utilização dos resíduos orgânicos para a compostagem. 
(C) da descarga direta dos efluentes nos rios ou no mar e do lançamento dos resíduos sólidos nos aterros sanitários. 
(D) do uso direto dos efluentes para rega dos campos agrícolas e da utilização dos resíduos sólidos como fertilizante orgânico.


5. A agricultura portuguesa ainda apresenta deficiências estruturais como, por exemplo,
(A) a baixa qualificação profissional e a idade avançada dos produtores agrícolas. 
(B) a predominância de mão de obra familiar e o baixo custo dos fatores de produção. 
(C) a feminização do sector agrícola e a fraca percentagem de mão de obra agrícola a tempo parcial. 
(D) a reduzida dimensão económica das explorações e o elevado número de sociedades agrícolas.


6. A estratégia de desenvolvimento rural, no quadro da Política Agrícola Comum (PAC) no horizonte 2014-2020, visa a fixação de pequenas e médias empresas em áreas rurais, de modo a
(A) diminuir a produção de biocombustíveis e a integrar diversos sectores a nível local. 
(B) desenvolver a fileira da indústria agroalimentar e a intensificar a produção de leite. 
(C) incentivar o turismo de massas e a potencializar os produtos de origem florestal. 
(D) reduzir a flutuação sazonal do emprego e a desenvolver sectores não agrícolas.