CORRECÇÃO DO TEMA RECURSOS RADIAÇÃO SOLAR E RECURSOS HÍDRICOS
EXAME DE GEOGRAFIA - 2014 FASE 2



[EXAME 2014, FASE 2]
[ GRUPO I ]


A Figura 1 corresponde à carta sinóptica do dia 3 de janeiro de 2014.






1. A depressão barométrica identificada na Figura 1 está centrada na proximidade
(A) da Noruega. 
(B) da Islândia. 
(C) das Ilhas Britânicas. 
(D) das ilhas açoreanas.


2. As isolinhas traçadas na carta sinóptica da Figura 1 denominam-se
(A) isotérmicas. 
(B) isóbaras.  
(C) isoietas. 
(D) isótimas.


3. O estado do tempo que se fez sentir na Região Autónoma da Madeira, de acordo com a Figura 1, caracterizou-se por
(A) estabilidade, com a ocorrência de céu limpo e a ausência de vento.  
(B) instabilidade, com a ocorrência de vento fraco e de chuva contínua.  
(C) estabilidade, com a ocorrência de forte nebulosidade e de vento moderado. 
(D) instabilidade, com a ocorrência de vento forte e de precipitação abundante.


4. Numa depressão barométrica, como a identificada na Figura 1, a circulação do ar à superfície é
(A) ascendente e divergente. 
(B) convergente e descendente. 
(C) convergente e ascendente. 
(D) descendente e divergente.


5. A diferença entre os valores da precipitação registados no noroeste e no nordeste de Portugal continental deve-se, entre outras razões, à
(A) presença de relevo montanhoso na região noroeste. 
(B) orientação discordante das montanhas localizadas a norte do rio Douro. 
(C) menor profundidade dos vales da bacia do rio Douro. 
(D) passagem frequente das perturbações da frente polar, na região nordeste.


6. As medidas destinadas a minimizar os impactes negativos da ocorrência de precipitação intensa são, entre outras,
(A) a construção de diques e a impermeabilização das encostas. 
(B) a florestação das cumeadas e a proibição de construção nos interflúvios. 
(C) a construção de terraços nas vertentes e o estreitamento dos leitos normais dos rios. 
(D) a florestação de vertentes e a interdição da construção nos leitos de cheia.



Sem comentários: