o geóide do planeta Terra obtido pelo satélite GOCE-ESA









A Terra não é uma esfera prefeita:

Em primeiro lugar, a Terra tem relevo.

Em segundo lugar a Terra gira e como gira o nosso planeta tem um diâmetro ligeiramente maior no equador onde, com maior velocidade tangencial, a matéria tende a escapar pela tangente, por inércia. ATerra não é redonda mas ligeiramente achatada nos pólos.

Em terceiro lugar a Terra, porque existe e tem massa, possui gravidade e a única maneira de caracterizar a forma de um planeta é fazer uma mapa da sua gravidade (tendo em conta a distribuição de massa em todo o globo). Este mapa da gravidade premite definir a exacta dimensão do geóide.




A imagem em cima ilustra o geóide construido com os dados da satélite GOCE
(nota: não se trata de uma imagem topográfica do planeta):
Definição (simplificada): Geóide é a "figura física da Terra", sendo, de facto o seu campo de gravidade.

A partir de 2011, com os dados do GOCE, é possível criar um modelo de geóide com uma precisão mil vezes superior aos valores antes obtidos (uma precisão na medida de altura entre 1 a 2 centímetros).
nota: lembremo-nos que a gravidade da Terra não é igual em todo o lado, variando consoante o lugar: onde há montanhas, por exemplo, a força será maior porque a massa é maior.

Esta exactidão é uma referência essencial para medir com rigor a altitude zero metros e, portanto, medir com rigor altitudes e alturas.

Finalmente, será possível calcular, com um rigor antes impossível, a subida dos oceanos; definir o deslocamento de massas relacionadas com as correntes oceânicas e saber qual é a sua contribuição para o Aquecimento Global; e, por fim, calcular quanto gelo é derretido nas calotes polares.

Sem comentários: