nem todos os países mudam a sua hora legal







HORÁRIO DE VERÃO E HORÁRIO DE INVERNO: ADIANTAR OU ATRASAR A HORA

Em 2015, dos 195 países reconhecidos pela ONU, hoje, apenas 82 adiantam 1 hora (calhou 29 de Março, mas a regra é proceder à alteração entre o Sábado e o Domingo).
113 Países não mudam a sua hora legal.


"Daylight Saving Time":

Tudo começou em 1916 nos EUA. O objectivo foi poupar energia. O nome oficial da iniciativa: “Daylight Savings Time” (DST). Foi pensado por Benjamin Franklin para poupar velas... em 1784. Mas só seria implementado em 1916 para poupar recursos durante a Primeira Guerra Mundial. Acabaria por ser recuperado depois da crise do petróleo de 1973 e por transformar-se em diretiva europeia em 1981.

Em 2011 eram 110 os países que mudavam a hora duas vezes por ano. Antes, na Europa a Islândia e a Rússia foram a excepção. Na Rússia, não adoptaram este "Daylight Saving Time" porque estudos terão concluído que a hora de inverno deixava o povo deprimido, contribuindo para um aumento da taxa de suicídios. Dmitri Medveded, o então presidente russo, afirmou no início de 2011 que o país viveria sempre no horário de verão.

Actualmente, nos EUA esta prática começa a perder o encanto: os estados do Arizona e Havai não mudam os ponteiros do relógio durante o ano; o Utah poderá abandonar igualmente a mudança da hora.


Quem teve a ideia?

Um dos Founding Fathers dos Estados Unidos: Benjamin Franklin. O norte-americano escreveu um artigo — “Economical Project for Diminishing the Cost of Light” — para o Journal de Paris, em 1784, no qual defendia a importância de mudar a hora para gerar poupanças. Mas a ideia só andou para a frente graças a um londrino — William Willett –, que, no entanto, não conseguiu convencer os governantes do país com o panfleto “The Waste of Daylight”, em 1907. O jovem Winston Churchill apoiou a teoria, mas ela não chegou ser aprovada.

Com a Primeira Guerra Mundial a Alemanha e o império Austro-Húngaro optaram pela tese de Willett. O Reino Unido e a França anunciaram poucos dias depois a mesma decisão. Em 1916 foi a vez da Rússia e dos Estados Unidos.

o mapa interactivo da internet











A internet existe no fundo dos oceanos...  

99% da informação que circula entre continentes passa através de fibra ótica e apenas 1% é transmitida via satélite.

Milhares de quilómetros de cabos de fibra ótica que permitem o transporte de informação sob a forma de luz. Existem cerca de 300 destes cabos que atravessam o fundo de todos os oceanos (chegam aos 8 km de profundidade) para ligar todos os países de todos os continentes.

Esta rede subaquática numerosa, longa e complexa inspirou a TeleGeography a criar um mapa interactivo de todas estass linhas. A empresa de consultoria norte-americana acrescentou informação adicional e um traço vintage, a fazer lembrar os mapas antigos.

gráfico interactivo dos fluxos migratórios internacionais na actualidade (entre 1990 e 2010)

www.global-migration.info









Ler em global-migration.info/Global_Migration_Datasheet.pdf



O GRÁFICO INTER ACTIVO "GLOBAL FLOW OF PEOPLE" 

Os fluxos populacionais entre os 194 países aqui representados contabilizam o número de pessoas que mudaram seu país de residência por períodos de cinco anos. Não podem ser comparados aos movimentos anuais de fluxo de dados publicados pela Organização das Nações Unidas ou pelo Eurostat.

Os dados sugerem uma intensidade estável de Migração global de 5 anos situa-se em cerca de 0,6% da população mundial desde 1995.


ESTIMATIVA DOS FLUXOS MIGRATÓRIOS BILATERAIS GLOBAIS

O gráfico circular mostra as estimativas de fluxos direcionais entre 123 países que registaram um volume de Migração (imigração + emigração) de mais de 100.000 pessoas em pelo menos dois dos quatro períodos de tempo (5 anos). E apenas fluxos contendo pelo menos 50.000 migrantes são mostrados. A janela que aparece quando pairando sobre o gráfico indica o número absoluto de imigrantes (total in) e emigrantes (total out) ao longo do período de cinco anos.

Supermarés. Onde acontecem as supermarés?


Imagens da região próxima da Baía de Fundy


Filmado na Baía de Fundy, Canadá.


Filmado na Baía de Fundy, Canadá.



A maior amplitude entre marés, na Baía de Fundy, atinge os 15 metros.



O que são as «Marés do Século»:  

Acontecem quando a Lua está muito perto da Terra e alinhada com o Sol, a força gravítica acaba por influenciar as marés, provocando marés mais altas e mais baixas, com maiores amplitudes entre elas. Em 2015 ocorreram entre 15 e 23 de Março devido à influência do Eclipse solar de 20 de Março.

Onde costumam acontecer coma maior intensidade:

Nas zonas costeiras do norte de França para assistir à esperada “maré do século”. O fenómeno está também a ser observado no Reino Unido, no Canadá (onde a amplitude das marés poderá atingir os 16 metros na Baía de Fundy) e no norte da Austrália. Naturalmente, estes são os locais onde acontecem as marés normais com maior amplitude (diferença entre maré alta e maré baixa).

Quando costumam acontecer as «Marés do Século»: 

O fenómeno repete-se a cada 18 anos e a última “maré do século” tinha ocorrido em março de 1997, pelo que esta é a mais elevada maré registada no século XXI. A próxima supermaré poderá ser vista em 2033.

por onde passará o próximo eclipse solar?


No mapa vemos em vermelho-escuro a umbria (obscuridade total) e em laranja a penumbra (obscuridade difusa) a avançar para a Península Ibérica no final do dia e desaparecer na zona nocturna que avança para a esquerda do planisfério (para Oeste do planeta Terra)



TANGENTE AO NORTE DE PORTUGAL CONTINENTAL PROVOCARÁ ESCURIDÃO A 90%  

Em 12 de Agosto de 2015 inicia-se às 17h40 e terminará pelas 19h30. Está previsto que chegue a níveis de obscuridade na ordem dos 90% em Portugal Continental, mas será total no norte de Espanha.

Em Portugal Insular, os Açores continuarão a ver um eclipse com obscuridade superior a 70%. O eclipse será visível na Europa, norte da América no norte, noroeste de África.

Até 2026 teremos dois eclipses em Portugal, em 2021 e 2025, mas serão muito pouco expressivos. Os últimos grandes eclipses do Sol tiveram lugar em Agosto de 1999 e em 3 de outubro de 2005 tendo-se, neste último, atingido uma obscuridade de 90.18%.

Fonte: Observatório Astronómico da Sociedade Científica de Astronomia do Minho

o eclipse solar em directo filmado a partir de Lisboa




Nota:
O video desde as 10h00 de 20/03/2015 é uma repetição do que foi emitido em directo pelo OAL



TRANSMISSÃO EM DIRECTO DAS 8H00ÀS 10H00:

O eclipse parcial do sol em directo através das imagens do Observatório Astronómico de Lisboa, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Este eclipse do Sol ocorreu em 20 de Março e começou, em Portugal, pelas 08h00 e acabou cerca das 10h00. No nosso país o Sol não esteve totalmente tapado, mas nas Ilhas Faroé e na Noruega o eclipse foi total.

o Equinócio da Primavera de 2015



Solstícios e Equinócios
entre 2002 e 2017
Data e hora TUC - Tempo Universal Coordenado
Ano Equinócio

Março
Solstício

Junho
Equinócio

Setembro
Solstício

Dezembro
Dia Hora Dia Hora Dia Hora Dia Hora
2002 20 19:16 21 13:24 23 04:55 22 01:14
2003 21 01:00 21 19:10 23 10:47 22 07:04
2004 20 06:49 21 00:57 22 16:30 21 12:42
2005 20 12:33 21 06:46 22 22:23 21 18:35
2006 20 18:26 21 12:26 23 04:03 22 00:22
2007 21 00:07 21 18:06 23 09:51 22 06:08
2008 20 05:48 20 23:59 22 15:44 21 12:04
2009 20 11:44 21 05:45 22 21:18 21 17:47
2010 20 17:32 21 11:28 23 03:09 21 23:38
2011 20 23:21 21 17:16 23 09:04 22 05:30
2012 20 05:14 20 23:09 22 14:49 21 11:11
2013 20 11:02 21 05:04 22 20:44 21 17:11
2014 20 16:57 21 10:51 23 02:29 21 23:03
2015 20 22:45 21 16:38 23 08:20 22 04:48
2016 20 04:30 20 22:34 22 14:21 21 10:44
2017 20 10:28 21 04:24 22 20:02 21 16:28


O Equinócio em Março. Começa a Primavera!  

Equinócio: do latim "Aequinoctium", “noite igual”, refere-se ao momento do ano em que a duração do dia é igual à da noite sobre toda a Terra. 


Ocorre duas vezes por ano quando a posição aparente do Sol no céu atinge o plano do equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste seus extremos norte).


Acontece sempre nos meses de Março e Setembro (o dia e hora exactos variam de um ano para outro).



O Planeta Terra no Equinócio (Setembro em baixo e Março em cima) e Solstício (Junho à esquerda e Dezembro à direita).




Neste filme a sequência começa pelo equinócio de Outono, solstício de Inverno, equinócio da primavera e solstício de Verão (no hemisfério Norte). Observa-se a sucessão das 4 estações do ano pela evolução da inclinação da linha do Terminador da Terra.

Portugal é muito Ok





Portugal natural:

Um documentário sobre a Natureza de Portugal que pretende levá-lo numa viagem que vai desde o Gerês a Montesinho, passando pelos picos mais altos da Serra da Estrela e pelos fantásticos rios que percorrem o nosso território. Descubra também o Montado e as Planícies Alentejanas, desça até à Ria Formosa e atravesse o Atlântico para encontrar as Ilhas dos Açores e da Madeira.
Neste documentário ficará a conhecer um pouco melhor algumas das espécies mais icónicas da fauna do nosso país.

Descubra a Natureza dos países de língua portuguesa!

www.aidnature.org

Documentário exibido na SIC a 18 de Maio 2014

as principais montanhas de Portugal




As principais cadeias montanhosas de Portugal continental e ilhas

jogos de geografia traduzidos pelo google




Clicar nas imagens para abrir em ecran grande




JOGOS PARA APRENDER UM POUCO MAIS

Cliquem no Botão Azul. Se o inglês é um problema escolham a função »Traduzir para Português« com o botão direito do rato.


o nosso concurso de geografia já começou








001 - O nome desta cidade é ...


lisboa vila nova de gaia seixal almada porto montijo barreiro





002 - Esta onda ocorreu na vila ...


arrifana sagres nazaré rabo de peixe óbidos praia porto salvo




CONCURSO "ONDE FICA ISTO?"

Joga-se nesta página: http://geografia-concurso.blogspot.pt

Qualquer um pode jogar e no fim há um prémio:
Um saco de compras cheio de batatas, couves, um pacote de batatas fritas Camponesa, vários livros oferecidos pela professora Mª José e um «cheque» cultural no valor 20 euros a ser entregue imediatamente ao vencedor - na tarde de 20/03/2015 (às 10h00).

a Estação Espacial Internacional em directo - o mapa interactivo da ISS











Onde está a International Space Station - Estação Espacial Internacional  

A Estação Espacial Internacional voa aos 415 km de altitude em velocidades que desafiam a gravidade - literalmente. Aos 28.800 km/h leva apenas 90 minutos para fazer uma volta completa da Terra.

Os astronautas que trabalham na ISS-International Space Station vivem 16 amanheceres e entardeceres por dia.

O rastreador acima, desenvolvido pela ESA (Agência Espacial Europeia), mostra onde a Estação Espacial Internacional está agora e qual o seu caminho 90 minutos antes e 90 minutos depois (1 circum-navegação).

Devido à rotação da Terra, a ISS move-se para Oeste enquanto atravessa o nosso planeta.

No mapa do Google Maps podemos ver o Zénite da ISS - o lugar onde a estação está voando diretamente acima.



Os abastecimentos da ISS: o voo do cargueiro ATV-5

O ATV-5, último navio de cargas da ESA (Agência Espacial Europeia), abastece a ISS (Estação Espacial Internacional).

O ATV-5 pode levar quase 6,6 toneladas de suprimentos, incluindo carga sólida até 2682 kg.

ferramentas geográficas para trabalhar nos 7º anos de geografia


















Visão completa da Terra, como se vê pelo Meteosat-10, aqui: http://oiswww.eumetsat.org

Neste video a falta de imagem que percorre todo o ecran é a passagem da noite, sucedendo-lhe o dia solar.
As nuvens de chuva com pequenas gotas têm grande reflectância e, portanto, aparecem esbranquiçadas, enquanto a neve e as nuvens de gelo aparecem em azul-esverdeado (cian).
A superfície descoberta da terra aparece em castanho. Os oceanos aparecem em preto por causa da sua baixa reflectância em todos os três canais de cores.

Estas são imagens com "Natural Cor RGB" obtidas a partir dos satélites Meteosat-10 da EUMETSAT em ​​órbita geoestacionária a 36.000 km acima da Terra.





Relatório individual a usar semanalmente na sala de aula de geografia para todas as turmas de 7º ano de geografia:


Clicar na imagem para baixar o PDF via SCRIBD


Cada aluno deverá criar à mão um mapa para localizar os eventos registados no presente relatório.
Cada aluno deverá reproduzir à mão o presente relatório.
Cada aluno deverá assentar as informações recolhidas semanalmente em sala de aula através de «Observação directa» e consulta de: Google Earth: com activação da camada «Clima»; e do Painel Global.

www.painelglobal.com.br e www.painelglobal.org; Instituto Português do Mar e da Atmosfera: www.ipma.pt/pt/otempo/prev.numerica e www.ipma.pt/pt/geofisica/sismologia