o desaparecimento da Coreia do Norte








A miséria vista do espaço sideral não se vê:  

Os astronautas da Estação Espacial Internacional (International Space Station - ISS) obtiveram estas imagens da Península Coreana à noite voando sobre a Ásia Oriental.

Ao contrário das imagens diurnas, luzes da cidade à noite ilustram dramaticamente a importância económica das cidades medindo o seu tamanho relativo.

Nestas imagens é sobressai a gigante Seul, capital da Coreia do Sul que tem 25,6 milhões de habitantes na sua área metropolitana.

A Coreia do Norte é uma mancha escura em comparação com vizinha Coréia do Sul e China: a terra escurece e parece como se fosse um pedaço de água a unir o Mar Amarelo com o Mar do Japão. Sua capital, Pyongyang, aparece como uma pequena ilha iluminada, apesar de uma população de 3,26 milhões (em 2008). A emissão de luz a partir de Pyongyang é equivalente às cidades menores na Coréia do Sul.

Estas diferenças são ilustradas no consumo de energia per capita nos dois países: a Coreia do Sul consome 10.162 quilowatts-hora por habitante e a Coréia do Norte 739 quilowatts-hora por habitante.


NOTA:
Fotografia ISS038-E-38300: Obtida em 30 de janeiro de 2014 com uma câmera digital Nikon D3S usando uma lente de 24 milímetros. A imagem foi tirada pela tripulação da Expedição 38 da ISS (International Space Station).