mapas de relevo sem o nível médio do mar


Mapa global das profundezas do oceano e elevações terrestres, com dados mapeados para cor (do ciano ao cinza escuro) por quantis 


Visualização de cores sem quantis mas com correspondência direta para os diversos valores de dados, resultando em contrastes menos visuais 


Europa: planícies orientais contrastam com a topografia acentuada da Escandinávia ocidental, dos Alpes, da bacia do Mediterrâneo e da Península Ibérica 


Uma perspectiva diferente da topografia usando o "mar-como-nivelamento": a escuridão mostra a distância vertical a partir do nível do mar



Bacia Amazônica: o sistema do colossal rio é parcialmente delimitado pelos andinos e as serras Pacaraima 



A Vancouver Island, as Montanhas Rochosas e campo de gelo Columbia: o autor questiona se isto é topografia no seu melhor



PESQUISA EM ANÁLISE ESPACIAL NO CASA: 

The Centre for Advanced Spatial Analysis (CASA) is one of the leading forces in the science of cities, generating new knowledge and insights for use in city planning, policy and design and drawing on the latest geospatial methods and ideas in computer-based visualisation and modelling. We are part of The Bartlett: UCL's global faculty of the built environment.


Robin Edwards [http://geotheory.co.uk/blog/about] produziu mapas topográficos usando os dados de elevação de alta resolução do British Oceanographic Data Centre.

Nestes mapas o Preto corresponde a "áreas de alta" e o Azul "áreas baixas". No mapa da Europa, as áreas mais altas da Europa parecem misturar-se com o mar.

Sem o habitual «Nível Médio do Mar» (n.m.m.) há uma perda no sentido de escala que faz os fundos dos oceanos parecerem pequenos canais de água de um delta fluvial raso.

Robin Edwards explica-nos que o melhor destes gráficos é terem sido totalmente produzidos usando o software R [http://www.r-project.org] e com apenas 3 linhas de código! Clique aqui para ver como Robin o fez [http://geotheory.co.uk/blog/2014/02/07/visualising-topography].

Sem comentários: