aspirar o Oceano Pacífico



















Tecnologia promete sugar metade do lixo do Oceano Pacífico em dez anos 


Boyan Slat é holandês, tem 19 anos e ainda estava no secundário quando teve a ideia de criar uma tecnologia capaz de limpar oceanos. Numa viagem à Grécia, ficou assustado quando viu mais garrafas de plástico do que peixes na água - e decidiu que estava na altura de fazer alguma coisa. Estava prestes a nascer a Ocean Cleanup.

Essencialmente, a tecnologia funciona como uma barreira flutuante que aproveita as correntes oceânicas para bloquear os resíduos detectados nas águas. A máquina funciona como um filtro, recolhendo o material e armazenando-o em recipientes até ser recolhido para ser reciclado em terra. Mas não se preocupe, a vida marinha não ficaria em perigo: o "lixo" recolhido continua em contacto com a água, logo na separação os animais seriam devolvidos ao mar.

Nos primeiros testes, o sistema conseguiu recolher plásticos até três metros de profundidade. E de acordo com o jovem, pode vir a ser capaz de remover metade do lixo do Oceano Pacífico em dez anos. Inicialmente criticado pela falta de viabilidade do projecto, Boyan elaborou um relatório de 530 páginas onde garante o contrário: é realmente possível limpar os oceanos através deste sistema.



O projecto de crowdfunding já reuniu 475 mil euros 
O trabalho valeu-lhe vários prémios, e Boyan chegou mesmo a apresentar o projecto na TEDxDelft 2012 (vejam o vídeo em http://goo.gl/1wYx5T). Hoje o projecto está à procura de financiamento, mas as notícias não são desanimadoras: o pedido de donativos ainda se vai prolongar por mais de 80 dias, mas o jovem conseguiu 475 mil euros em apenas 14 dias. Pede 1,47 milhão para tornar o projecto viável.



Acção política positiva 

Boyan Slat combina ambientalismo, empreendedorismo e tecnologia para lidar com questões globais de sustentabilidade. Após um mergulho na Grécia no qual se enleou em sacos de plástico, perguntou-se: "Por que não podemos limpar isto?"

Enquanto ainda estava no ensino secundário, decidiu dedicar metade de um ano de pesquisa na compreensão da poluição por plásticos e os problemas associados à sua remoção.
Isto levou ao seu conceito de limpeza passiva, que ele apresentou no  TEDxDelft 2012.

Trabalhando para provar a viabilidade de seu conceito, Boyan Slat actualmente está a colaborar com uma equipe de aproximadamente 50 pessoas e parou temporariamente os seus estudos em Engenharia Aeroespacial para concentrar todos os esforços no projecto Limpeza do Oceano.

Os progressos deste projecto podem ser seguidos através www.theoceancleanup.com e www.facebook.com/TheOceanCleanup, bem como www.twitter.com/TheOceanCleanup