Portugal em extinção: número de portugueses diminui 50.000 por ano



OS PORTUGUESES EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012:

A população residente foi estimada em 10.487.289 portugueses (4.995.697 homens e 5.491.592 mulheres).



Fonte: Estatísticas Demográficas 2012 (INE 2013)


Fonte: Estatísticas Demográficas 2012 (INE 2013)


A EVOLUÇÃO DA POPULAÇÃO PORTUGUESA:

A população residente voltou a diminuir: -55.109 portugueses.
Consequentemente, a Taxa de Crescimento Efetivo foi de -0,52%.

Porque o Saldo Natural estimado foi negativo: -37.352 indivíduos (Taxa de Crescimento Natural de -0,17%).

E porque o Saldo Migratório foi negativo: -17.757 indivíduos (Taxa de Crescimento Migratório de -0,36%).







Fonte: Estatísticas Demográficas 2012 (INE 2013)


A EMIGRAÇÃO E A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL:

Em 2012, o número de Emigrantes permanentes (51.958) ultrapassou novamente o de Imigrantes permanentes (14.606), resultando num Saldo Migratório negativo (- 37.352), superior ao Saldo Migratório estimado para 2011 (- 24.331).

No que respeita à Emigração temporária, as estimativas para 2011 apontam para que tenham saído do país cerca de 56.980 portugueses com intenção de permanecer no estrangeiro por um período inferior a um ano. Em 2012 esse valor subiu para 69.460 pessoas.







Fonte: Estatísticas Demográficas 2012 (INE 2013)


A ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO:

Entre 2012, face ao total de população residente, a proporção de Jovens (população dos 0 aos 14 anos de idade) é 14,8%;.

A proporção de pessoas em Idade Activa (população dos 15 aos 64 anos de idade) é 65,8%.

A proporção de pessoas Idosas (população com 65 ou mais anos de idade) é 19,4%.

Em consequência, o Índice de Envelhecimento é de 131 pessoas idosas por cada 100 jovens.



ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO É O MAIOR PROBLEMA DE PORTUGAL:

Portugal mantém a tendência de envelhecimento demográfico.

O perfil das Pirâmides Etárias apresentam nos últimos anos, na base da pirâmide etária (ou seja, estreitamento da base, que traduz a redução dos efetivos populacionais jovens, como resultado da baixa da natalidade) e no topo da pirâmide (ou seja, alargamento do topo, que corresponde ao acréscimo no número de pessoas idosas, devido ao aumento da esperança de vida).