a prova intermédia de geografia de 2012

O Teste Intermédio de Geografia para o nono ano foi simples e directo mas teve um grau de exigência elevado.

1. Confesso que esperava tal acréscimo de exigência, mas tinha dúvidas. Nuno Crato sempre falou do necessário «fim do facilitismo» mas entre o dizer e o fazer vai um passo de gigante.

2. Surpresa inconsequente: nesta Prova de 9º Ano as matérias versaram apenas o oitavo e sétimo ano de geografia.

3. O Teste Intermédio de 2012 confirmou uma maior exigência para o ensino de geografia: visível no vocabulário geográfico empregue e no grau de pormenor e domínio das matérias que algumas das questões exigiam (sobretudo nas matérias de 7º Ano).

4. Consequências imediatas: será esperável um número de negativas nesta Prova muito superior ao número de chumbos nas avaliações internas (sumativas) de cada escola.

5. Consequências para os próximos anos: sinto-me à vontade para subir o grau de exigência das minhas aulas já no próximo ano. Aliás, sinto-me obrigado a aprofundar as matérias de estudo e a subir o grau de exigência para com os alunos.

6. Consequências para os próximos anos: o número de negativas (chumbos) por turma irá aumentar. Porque serei mais exigente, teremos de dominar mais informação e porque muitos alunos continuarão a ter dificuldades na leitura e escrita e, sobretudo, continuarão a não trabalhar.