a revolução no ensino de geografia




A Arrábida vista no Google Earth 6.
Dará para intuir vagamente a revolução que poderia acontecer (enfim, que irá acontecer) nas aulas de Geografia dos liceus portugueses?


A eficácia arrasadora do Google Earth 6.
Por cá poucos acreditarão vivermos tempos únicos e arrebatedores.
A desconfiança e a aversão a estas boas novas no nosso sistema de ensino é usual... sistemas abertos (open source) como o moodle acabam «trancados» nas nossas escolas; o uso da net (enfim, o uso do «google») é selvagem e circulam mapas e «slides» de estudo sem apuramento de «fontes»; a prática de «citações» e «normas bibliográficas» não é incentivado e os alunos acabam a redigir trabalhos na posição de sujeito omnisciente (a repetirem «verdades reveladas» com erros ou desactualizadas) - creio que este é o ponto decisivo para a educação científica nas escolas.

E contudo... nunca como agora tivemos ferramentas tão fantásticas. Eu, na minha vida de estudante, nunca tive acesso a informação tão boa; nunca como agora tivemos (nós, humanidade em geral) acesso tão próximo aos melhores do mundo.

O pessoal da Google ou o pessoal de inúmeras instituições públicas de qualidade, ou universidades de qualidade, são um milagre vivo no acesso ao mundo do conhecimento. E também cá, em Portugal, há imensa qualidade (nunca tivemos dias tão bons).