the finland phenomenon


Ver documentário na totalidade em blip.tv/new-school-media


O filme documentário "The Finland Phenomenon" realizado por Bob Compton mostra como é que a Finlândia conseguiu escapar à pobreza e tornar-se um dos países mais ricos e igualitários da União Europeia.

A qualidade do sistema educativo finlandês contribuiu para o "milagre" finlandês. Um sistema educativo que prefere a cooperação à competição, o trabalho colaborativo entre professores ao individualismo, a confiança no trabalho dos professores à prestação de contas de tipo burocrático.

Os professores são recrutados de entre os melhores alunos do ensino superior. Mas ter boas notas não é suficiente. É preciso ultrapassar uma entrevista rigorosa para avaliar o perfil e o nível cultural dos candidatos. Só os melhores de entre os melhores alunos têm acesso aos cursos de formação inicial de professores. A qualidade dos professores é garantida a montante.

O leque salarial entre os professores em início de carreira e os que estão no topo é reduzido.

Não existe avaliação formal de avaliação de desempenho de professores.

Os alunos não levam trabalhos para casa.

As férias de Verão duram quase três meses.

O dia escolar termina às 15:00.

As turmas são pequenas: raramente excedem os 20 alunos. Os alunos com dificuldade de aprendizagem recebem apoios especiais com professores especializados nos apoios educativos.

Não há testes nacionais no ensino básico. Só à saída do ensino secundário é que os alunos são submetidos a exames.

O ensino privado é residual.

A escolaridade é obrigatória apenas até aos 16 anos de idade. E a idade de entrada na escola é aos 7 anos.

O currículo nacional é gerido com flexibilidade. E os professores têm grande autonomia na seleção dos meios e dos métodos de ensino.

Os edifícios escolares são modestos e frugais. A maioria das escolas são de pequena dimensão e têm apenas um ou dois funcionários não docentes.



nota:
Via ProfBlog: O que é que a Educação na Finlândia tem que a torna tão invejada?