Madeira: cheias e inundações






ver em Associated Press: http://www.ap.org

1) As inundações podem provocar a perda de vidas, a deslocação de populações e danos no ambiente, comprometer gravemente o desenvolvimento económico e prejudicar as actividades económicas da Comunidade.

(2) As inundações são um fenómeno natural que não pode ser evitado. No entanto, determinadas actividades humanas (como o aumento das aglomerações humanas e dos bens económicos nas planícies aluviais e a redução da retenção natural de água devido à utilização do solo) e as alterações climáticas contribuem para um aumento da probabilidade de ocorrência de inundações e do respectivo impacto negativo.

FONTE:
DIRECTIVA 2007/60/CE. (23-10-2007).Parlamento Europeu e do Conselho.

DEFINIÇÕES OFICIAIS:

1. «Inundação»: cobertura temporária por água de uma terra normalmente não coberta por água. Inclui as cheias ocasionadas pelos rios, pelas torrentes de montanha e pelos cursos de água efémeros mediterrânicos, e as inundações ocasionadas pelo mar nas zonas costeiras, e pode excluir as inundações com origem em redes de esgotos;

2. «Risco de inundação»: a combinação da probabilidade de inundações e das suas potenciais consequências prejudiciais para a saúde humana, o ambiente, o património cultural e as actividades económicas.

São vários os tipos de inundações que ocorrem em toda a Comunidade: cheias de origem fluvial, cheias repentinas, inundações urbanas e inundações marítimas em zonas costeiras. Os danos causados pelas inundações podem também variar entre países e regiões da Comunidade.

[Existe uma] probabilidade média de cheias [quando ocorre numa] periodicidade provável igual ou superior a 100 anos;

As definições de «rio», «bacia hidrográfica», «sub-bacia hidrográfica» e «região hidrográfica» constam do artigo 2.o da Directiva 2000/60/CE

FONTE:
DIRECTIVA 2007/60/CE. (23-10-2007).Parlamento Europeu e do Conselho.

A Directiva 2007/60/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de Outubro de 2007, relativa à avaliação e gestão dos riscos de inundações, tem por
objectivo “reduzir o risco e as consequências negativas das inundações na União Europeia”.
.