o dilema da avaliação


Um pouco por todo o lado vinga a convicção de que só poderemos «progredir», «melhorar» e receber um «melhor salário» à custa dos outros. São as cotas na «avaliação de professores», função pública e mundo em geral
- e.g., em cada cem apenas cinco poderão progredir...

Aos poucos surgirá o dilema: cooperar com os camaradas de equipe ou progredir por cima de camaradas?
O efeito imediato é desconfiar do vizinho do lado. Com o tempo a cooperação e espírito de grupo perderão significado. Irei cooperar com alguém que está interessado em cooperar? Ou irei cooperar com alguém que tudo fará (veladamente) para progredir (o que impedirá os restantes membros do grupo de progredir).

Nos jogos de soma zero da Teoria de Jogos isto corre sempre mal. Hoje, nas escolas já corre mal.