Solstício de Inverno

Hoje acontece o Solstício de Inverno e, portanto, começou o Inverno.
Será o dia solar mais curto do ano inteiro. A partir de agora, dia a dia, as noites ficam cada vez mais reduzidas, apesar da duração do dia solar, até 21 de Março de 2007, ser inferior a doze horas.


[imagem flash in USA Today]

5 comentários:

Azedo disse...

Caro professor desejo-lhe, a si á senhora professora e á piquena um Feliz Natal e Bom Ano Novo, em que tudo corra igual ou melhor do que este ano! Abraço e cumprimentos

Miguel disse...

Passei por aqui para te desejar um Feliz Natal e um 2007 cheio de boas novas...

Anónimo disse...

Caro colega geógrafo, antes de mais apresento-me: chamo-me Telmo Cunha e frequento o último ano do curso de Geografia, variante de Ordenamento, no Porto. Acho o seu blog fantástico! Contudo, tenho que corrigir um erro seu que não deverá ter passado de um lapso. A partir do solstício de Dezembro (Inverno no Hemisfério Norte) os dias não diminuem mas sim aumentam. Os dias vêem a diminuir até ao dia 21 de Dezembro (este dia que é o mínimo de horas diurnas existente, no Hemisfério Norte)
Um bem haja!
Abraço,
Telmo Cunha ( tcpor@hotmail.com )

Luís Palma de Jesus disse...

Caro Telmo. Obrigado pelo seu comentário absolutamente positivo.

Inúmeras vezes surgem erros. Tenho que agradecer quem se maça a rever lapsos e gralhas que nem dou conta.

Desta vez acho que está tudo OK. O Telmo e eu temos a mesma tese:

LPJ: "A partir de agora, dia a dia, as noites ficam cada vez mais reduzidas, apesar da duração do dia solar, até 21 de Março de 2007, ser inferior a doze horas."

TELMO: "A partir do solstício de Dezembro (Inverno no Hemisfério Norte) os dias não diminuem mas sim aumentam".

Talvez o minha frase tenha levado a uma leitura com sentido oposto, mas desta vez o texto tá "no problem".

Um grande abraço.
luis palma de jesus

Anónimo disse...

Pois, reparei agora. Peço imensa desculpa pela correcção... desnecessária.
Continue a trabalhar neste blog que o faz de uma maneira fantástica!
Parabéns, continuarem por aqui a ver os seus deliciosos artigos geográficos! ;)
Um abraço,
Telmo Cunha