sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Relatório do Desenvolvimento Humano 2015 - O indicador "Índice de Desenvolvimento Humano"





É o mais recente trabalho sobre o "Desenvolvimento Humano" à escala mundial.

Neste relatório de 2015, em 2014 e mesmo em plena crise económica, Portugal continua a ser um "país muito desenvolvido". Num total de 188 países encontra-se em 43º lugar.

A Grécia continua em 29º apesar de viver uma crise aparentemente mais intensa.
O Brasil é classificado como mero "país desenvolvido", mas subiu para o 75º lugar do IDH (Índice de desenvolvimento humano) de 2014.

O IDH é elaborado anualmente pela ONU - Organização das Nações Unidas.


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Nós Propomos em setembro




O Projeto mobiliza o Estudo de Caso para a identificação de problemas locais e a apresentação de propostas de resolução pelos alunos. Simultaneamente, pretende promover a parceria entre diferentes parceiros (universidade, escolas, autarquias, empresas e associações), com quem se tenta estabelecer protocolos de cooperação.

Depois de uma primeira fase de sensibilização para as questões da cidadania e desafios locais, os alunos identificam, em pequenos grupos, problemas que lhes são significativos, na área da escola e da sua residência – da recuperação de um edifício abandonado à alteração do percurso de uma carreira de transportes públicos. Sempre que possível, alunos e professores têm uma reunião com técnicos da Câmara Municipal, que lhes transmitem as principais orientações e preocupações do Plano Diretor Municipal.

Os alunos realizam, então, um pequeno trabalho de pesquisa sobre o problema que selecionaram e elaboram proposta(s) de resolução do mesmo, que apresentam sob a foram de um power point ou de outro recurso multimédia, bem como uma breve memória descritiva.

Em 2 de maio de 2017, realiza-se no Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa/IGOT-UL, que coordena o Projeto, o Seminário Nacional, em que jovens de todas as escolas participantes apresentam as suas propostas e são atribuídas algumas distinções e certificados de participação. A divulgação destas propostas prossegue junto da comunidade, frequentemente junto da autarquia e algumas têm sido assumidas pelas autoridades locais.

In PROJETO NÓS PROPOMOS!CIDADANIA E INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA 2016/17

terça-feira, 20 de setembro de 2016

IDH 2015 - os dados mais recentes sobre o desenvolvimento humano do mundo




Nota [1]: A República Popular da China (RPC) não reconhece a República da China (ROC) como um Estado soberano e independente, a ONU segue a mesma posição, sendo que relatório do IDH não inclui dados de Taiwan, Província da China. Para ROC seu IDH é calculado a partir de 2011 a 0,882 baseado na metodologia de 2010 do IDH.


O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO DE 2015  

Em 2015 foi publicado o mais recente Relatório do Desenvolvimento Humano.
Num total de 194 países foi possível adquirir dados de 188 países e, pelo método dos quartis, foi considerado existirem 49 países com um Desenvolvimento Humano Muito Elevado. Um grupo onde Portugal consta em 43º lugar.


Nota:
Os valores da tabela foram consultados na wikipedia em 20/09/2016: Lista de países por Índice de Desenvolvimento Humano

porque razão o IDH usava o PIB e agora usa o RNB



O IDH E O PIB, O PNB E E O RNB   

No nono ano de geografia trabalhamos o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) que usa 4 indicadores. Um destes era o PIB/per capita que passou em 2009 a RNB/per capita mas ambos medem a riqueza produzida. Qual a diferença? Porque mudaram de indicador?
Uma simples mudança que obriga a esclarecimentos simples:

1) PIB, PNB e RNB: estes indicadores medem o valor da riqueza produzida.
2) PIB (Produto Interno Bruto) será a riqueza produzida no território nacional por estrangeiros e nacionais.
3) PNB (Produto Nacional Bruto) será a riqueza produzida por nacionais no estrangeiro e dentro do próprio país (território nacional).
4) RNB (Rendimento Nacional Bruto) será a riqueza produzida por nacionais no estrangeiro e dentro do próprio país (território nacional) sem incluir movimentos de capitais (empréstimos ou saídas de capitais). Ou seja, os países que vivam de dinheiro emprestado ou que sofram de «fuga de capitais» para o estrangeiro terá um RNB mais reduzido.








PRODUTO INTERNO BRUTO É DIFERENTE DE RENDIMENTO NACIONAL BRUTO   

O PIB (Produto Interno Bruto) dá o valor da riqueza criada anualmente em Portugal, e o RNB (Rendimento Nacional Bruto) dá o valor da riqueza criada anualmente que fica em Portugal.

O PIB que é utilizado normalmente para medir o crescimento económico e também a riqueza de um país não traduz com rigor a verdadeira situação dos habitantes de um país. E isto porque uma parte da riqueza criada num país pode ser apropriado por estrangeiros através da sua transferência para o exterior.

O PIB (Produto Interno Bruto) dá o valor, em euros, da riqueza criada anualmente em Portugal, e o RNB (Rendimento Nacional Bruto) dá o valor da riqueza criada anualmente que fica em Portugal.



O CASO PORTUGUÊS DA DIFERENÇA ENTRE PIB E RNB - AS DÍVIDAS E AS FUGAS DE CAPITAL 
Análise do Quadro I e Quadro II:

Tem aumentado a diferença entre o RNB e o PIB. As empresas portugueses, nomeadamente as pertencentes a grandes grupos económicos, estão a investir cada vez mais no estrangeiro. Há fuga de capitais e o investimento em Portugal é cada vez mais reduzido. E, porque, o país tem vivido de empréstimos/dívidas o PIB mantem valores mais elevados do que o RNB

Se compararmos a percentagem que o RNB ( a riqueza que fica anualmente em Portugal) com o PIB (a riqueza criada anualmente em Portugal ) concluímos que ela tem diminuído de uma forma contínua.


Nota: 
Estas informações foram possíveis por consulta ao artigo do economista Eugénio Rosa no resisitir.info.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

proposta de ideias - atmosfera, movimento e luzes numa noite de céu limpo e frio








Rise Lantern Festival from Rise on Vimeo.



IDEIAS PARA PARTILHAR COM A DISCIPLINA DE CIÊNCIAS  

Ontem em conversa rápida, o pessoal das ciências sugeriu o tema para projectos no secundário: Atmosfera e Movimento. Como articular este tópico com a iniciativa "Nós Propomos"?

Identificar e mapear os melhores spots para um evento nocturno semelhante aos que costumam ocorrer na Tailândia (festas tradicionais centenárias) e, recentemente, no deserto de Mojave (EUA).

Caso os alunos e colegas encontrem nesta ideia alguma viabilidade, teremos de discutir como proceder a um trabalho de pesquisa de elevada minúcia: 1) que cuidados a ter; 2) como funciona; 3) como tornar o experimento num evento social com impacto na comunidade local?

Há um website de excelência da versão americana do evento americano em RISE Festival

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Nós Propomos em Arraiolos











Em 2015, o projecto dos alunos André Pontes, André Vieira, Alex Brum, Beatriz Ambrósio, Marli Silva e Pedro Rodrigues da Escola Secundária da Ribeira Grande, Região Autónoma dos Açores, alcançou o primeiro lugar na modalidade “vídeo” do “Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica, promovido pela Universidade de Lisboa e pela Esri Portugal.



PROJETO NÓS PROPOMOS!
CIDADANIA E INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA 2015/16

http://www.igot.ulisboa.pt/projeto-nos-propomos


O projeto “Nós Propomos!”, um programa nacional de cidadania destinado à apresentação de soluções para problemas locais.

"O Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa, em colaboração com a Esri Portugal, promove pelo quinto ano consecutivo o Projeto “Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica”. 
O Projeto “Nós Propomos!” tem por finalidade promover uma efetiva cidadania territorial local, numa perspetiva de governança e sustentabilidade. Constitui, presentemente, o grande projeto nacional no âmbito da disciplina de Geografia e mobiliza escolas de todo o país. Em 2014, mobilizou 1400 alunos e professores de Geografia de todo o país e conta com o apoio do Ministério da Educação e Ciência, através da Direção-Geral de Educação. Presentemente, o Projeto está a ser implementado em Tocantins/Brasil.
Dirige-se, prioritariamente, a alunos e professores de Geografia do Ensino Secundário, geralmente do 11º ano, mas conta também com a participação de alunos do 12º ano e do 10º ano e, ainda, de outros níveis e de cursos profissionais.
 
O Projeto mobiliza o Estudo de Caso, do 11º ano, para a identificação de problemas locais e a apresentação de propostas de resolução pelos alunos. Simultaneamente, pretende promover a parceria entre universidade, escolas, autarquias, empresas e associações, com quem se tenta estabelecer um protocolo de cooperação. 
No começo do ano escolar, depois de uma primeira fase de sensibilização para as questões da cidadania e desafios locais, os alunos identificam, em pequenos grupos, problemas que lhes são significativos, na área da escola e da sua residência – da recuperação de um edifício abandonado à alteração do percurso de uma carreira de transportes públicos, passando pela instalação de equipamentos de lazer num espaço público ou pela criação de um roteiro turístico local, para dar alguns exemplos. Sempre que possível, alunos e professores têm uma reunião com técnicos da Câmara Municipal, que lhes transmitem as principais orientações e preocupações do Plano Diretor Municipal (também abordado no 11º ano), o que ajuda a enquadrar o problema que estão a estudar. Os alunos realizam, então, um pequeno trabalho de pesquisa sobre o problema que selecionaram e elaboram proposta(s) de resolução do mesmo. A Esri Portugal assegura o apoio cartográfico aos alunos. 
Em 26 de abril de 2016, realizou-se na Universidade de Lisboa o Seminário Nacional, em que jovens de todas as escolas participantes apresentam as suas propostas e são atribuídas algumas distinções e certificados de participação. A divulgação destas propostas prossegue junto da comunidade, frequentemente junto da autarquia e algumas das mesmas têm sido assumidas pelas autoridades locais." 
In Projeto Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica. Consultado em 12/09/2016 em http://www.igot.ulisboa.pt/projeto-nos-propomos



Nota:
Os colegas da Secundária Severim de Faria fizeram isto: http://goo.gl/FfXzwd
Para aceder a todos os trabalhos submetidos a concurso podem consultar: http://nospropomos2016.weebly.com/trabalhos.html

O ano escolar começa hoje em Arraiolos




CALENDÁRIO PARA AS TURMAS 8A, 8B, 9B E 11B DE ARRAIOLOS  

As avaliações mais importantes já têm datas marcadas. Mas mais eventos vão aparecer.
Podem consultar este calendário através do link postado na "Coluna de links" existente na aba direita do site ou adicionar nos vossos «links/marcadores» esta URL: https://calendar.google.com/calendar/

domingo, 11 de setembro de 2016

a secundária Cunha Rivara de Arraiolos


Imagem orientada a Sul - i.e., o topo da fotografia coincide com o rumo Sul
Em primeiro plano o campo de futebol e a escola Cunha Rivara. 
Na esquerda da foto, o castelo de Arraiolos alcandorado no topo da colina mais elevada de Arraiolos. A ladeira que dá para a nossa escola situa-se na vertente poente do castelo que sendo redondo é por isso, uma raridade.



Planta topográfica oientada a Sul - i.e., o topo da imagem coincide com o rumo Sul.
As linhas concêntricas são «curvas de nível» e indicam a altitude. A escola tem a cota 356 metros de altitude e o castelo os 386 metros - ou seja, 30 metros de «comando» em relação à «rechã» onde construiram as intalações escolares.



Entardecer visto da Sala 9 em Outubro de 2013.
Foi na minha primeira semana de aulas. Alunos do sétimo ano conversam após aula de Geografia.
Um ano feliz.



Memória do workshop dedicado à feitura de livros e promovido pelo projecto Vento Norte Cartonero








arraiolos e sua área de influência







Em cima, ver em bonecos de bolso. Autoria de Pedro Cabral
Ver em Cida Garcia (Annoni). Na Galeria do FLICKR



A PAISAGEM GEOGRÁFICA

Comunidade simpática e acolhedora.
Paisagem e ordenamento do território exemplares. Uma escola super Hi-tech e, mais importante, alunos muito ok !!

Arraiolos situa-se na bacia hidrográfica do rio Tejo e muito beirado com as paisagens que drenam para o rio Sado ou para o rio Guadiana (na fronteira com Montemor e Évora).

Aqui já sentimos um Alentejo distinto da Alentejo litoral e oceânico ou do Alentejo interior, o da Bacia do Guadiana. E, aqui, o ordenamento de território mantem-se impoluto de Évora a Mora, Évoramonte ou Aviz.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Solstício de Verão: o dia diurno mais longo e a noite mais curta de 2016








Solstícios e Equinócios
entre 2002 e 2017
Data e hora TUC - Tempo Universal Coordenado
Ano Equinócio

Março
Solstício

Junho
Equinócio

Setembro
Solstício

Dezembro
Dia Hora Dia Hora Dia Hora Dia Hora
2002 20 19:16 21 13:24 23 04:55 22 01:14
2003 21 01:00 21 19:10 23 10:47 22 07:04
2004 20 06:49 21 00:57 22 16:30 21 12:42
2005 20 12:33 21 06:46 22 22:23 21 18:35
2006 20 18:26 21 12:26 23 04:03 22 00:22
2007 21 00:07 21 18:06 23 09:51 22 06:08
2008 20 05:48 20 23:59 22 15:44 21 12:04
2009 20 11:44 21 05:45 22 21:18 21 17:47
2010 20 17:32 21 11:28 23 03:09 21 23:38
2011 20 23:21 21 17:16 23 09:04 22 05:30
2012 20 05:14 20 23:09 22 14:49 21 11:11
2013 20 11:02 21 05:04 22 20:44 21 17:11
2014 20 16:57 21 10:51 23 02:29 21 23:03
2015 20 22:45 21 16:38 23 08:20 22 04:48
2016 20 04:30 20 22:34 22 14:21 21 10:44
2017 20 10:28 21 04:24 22 20:02 21 16:28












O solstício de Junho: 

Solstício: ocorre duas vezes por ano quando a posição aparente do Sol no céu atinge seus extremos norte (Solstício de Verão, hoje) e sul (Solstício de Inverno, hoje).

Acontecem sempre nos meses de Dezembro e Junho (o dia e hora exatos variam de um ano para outro).

Solstício quando ocorre em Junho (começa o Verão!) significa que esse será o dia mais longo do ano. Quando o Solstício ocorre em Dezembro (começa o Inverno!) significa que esse será o dia mais curto do ano

Hoje, em Arraiolos, o dia solar vai ser longo: com o Nascer do Sol às 06h07 e o Pôr do Sol às 20h59.



nota:
Nas aulas de geografia usa-se dizer: «Solstício é o exacto momento em que o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior declinação em latitude».




O solstício de Junho em diversos lugares: 


Latitude 66º 33’ Norte:  No Círculo Polar Ártico o único dia do ano em que o dia dura 24 horas ocorre em Junho (enquanto no Pólo Sul a noite dura 24 horas).

Latitude 23° 26' Norte:  No Trópico de Câncer o sol estará no seu zénite (na vertical) em Junho, será o dia mais longo do ano e inicia-se o Verão no hemisfério Norte (enquanto no Trópico de Capricórnio é o dia mais curto e inicia-se o Inverno).

Latitude 0º:  No equador a duração dos dias é fixa ao longo das estações do ano com 12 horas de luz e 12 horas de noite (ver cálculo da duração do dia para latitude de 0°). Desse modo os solstícios nessa linha não podem ser obtidos através de dias ou noites mais longas e somente podem ser observados através do dia em que o Sol atinge a menor elevação no meio-dia local, podendo o azimute dessa elevação do Sol estar orientada para o norte (soltício de verão no hemisfério norte) ou para o sul (soltício de verão no hemisfério sul). Na linha do equador não há como dizer se um solstício é de verão ou de inverno uma vez que demarcam a separação dos hemisférios norte e sul da Terra.

Latitude 23° 26' Sul:  No Trópico de Capricórnio o sol estará no seu zénite (na vertical) em Dezembro, será o dia mais longo do ano e inicia-se o Verão no hemisfério Sul (enquanto no Trópico de Câncer é o dia mais curto e inicia-se o Inverno).

Latitude 66º 33’ Sul:  No Círculo Polar Antártico o único dia do ano em que o dia dura 24 horas ocorre em Dezembro (enquanto no Pólo Norte a noite dura 24 horas).



sexta-feira, 10 de junho de 2016

o maior espelho do mundo é um gigantesco deserto de sal














O DESERTO SALAR DE UYUNI NA BOLÍVIA 

Este deserto é o espelho do céu: "Salar de Uyuni", a maior planície salgada do mundo Devido ao seu grande tamanho, superfície lisa, alta refletividade da superfície quando cobertas com águas rasas e desvio elevação mínima, Salar de Uyuni torna um alvo ideal para o teste e calibração instrumentos de sensoriamento remoto em órbita satélites usados ​​para estudar a Terra. Além de proporcionar uma superfície alvo excelente céus acima Salar de Uyuni são tão claras, eo ar tão seco, que a pavimentação de até cinco vezes melhor para a calibração de satélite do que usar a superfície do oceano.



MAIOR DESERTO DE SAL DO MUNDO 

O Salar de Uyuni é o maior deserto de sal do mundo. Está localizado no departamento de Potosí e no departamento de Oruro, no sudoeste da Bolívia, no altiplano andino, a 3.650m de altitude.

Há cerca de 40 mil anos a área do atual deserto de sal fazia parte do lago Michin, um gigantesco lago pré-histórico. Quando o lago secou, deixou como remanescentes os atuais lagos Poopó e Uru Uru, e dois grandes desertos salgados, Coipasa (o menor) e o extenso Uyuni. O Salar de Uyuni tem aproximadamente 10582 km² de área,1 ou seja, é maior que o lago Titicaca, situado na fronteira Bolívia-Peru e que apresenta aproximadamente 8300 km².

Estima-se que o Salar de Uyuni contenha 10 mil milhões de toneladas de sal, das quais menos de 25 mil toneladas são extraídas anualmente. Além da extração de sal, o deserto de sal também é um importante destino turístico. Seus principais pontos de visitação são o hotel de sal, desativado, e a Ilha do Pescado, com suas formações de recife e os cactos de até 10 metros de altura.

O deserto de sal é composto por aproximadamente 11 camadas com espessuras que variam entre 2 e 10 metros, sendo a mais externa de 10 metros. A profundidade total é estimada em 120 metros e é composta de uma mistura de salmoura e barro lacustre. O deserto de sal é também uma das maiores reservas de lítio do mundo, além de conter importantes quantidades de potássio, boro e magnésio.

Além do deserto de sal, da ilha do Pescado e das lagoas coloridas, onde se vê os flamingos, é possível num mesmo percurso conhecer lagoas de águas termais, sendo uma delas formada de piscinas e a outra natural. Também existem gêiseres que exalam vapor a uma temperatura de 38°C, a mesma temperatura da água.
Outro local interessante é um cemitério com ossadas de antigos moradores da região.



A ORIGEM DO SAL 

A origem do sal provavelmente está relacionada com a imensa quantidade de vulcões na envolvente do Salar de Uyuni já que situa-se sobre uma região de altiplano, 3650 metros acima do nível do mar. A concentração do sal é também facilitada pelo fato de ser uma região muito árida.

terça-feira, 7 de junho de 2016

um trabalho de pesquisa inspirador com o Google Earth no sétimo ano de Geografia




























UM TRABALHO DE PESQUISA SOBRE O RELEVO E BACIAS HIDROGRÁFICAS - NA VISITA DE ESTUDO À SERRA DE AIRE E CANDEEIROS EM 2016

Das alunas Joana e Sara do 7A na Escola Cunha Rivara em Arraiolos.

Para além das regras de como fazer um trabalho, os alunos precisam de situações reais.
Apesar das adversidades materiais e logísticas da sala de aula, e, de calendário, à última hora, os alunos do 7A e 7B conseguiram excelentes resultados - fica aqui a ilustração.
Irei usar este exemplo com as próximas turmas de sétimo ano. Um obrigado à Joana e Sara.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

o deserto a voar sobre o oceano





AREIAS ATRAVESSAM O OCEANO ATLÂNTICO

Em 2013 satélites do NOAA detectaram uma nuvem de poeira movendo-se no litoral do norte de África. Apesar de bastante comum, esta pluma especial, também chamada "Camada de Ar Subsariana", tem uma área relativamente restrita de alta concentração.

Nesta animação usa-se uma versão recentemente melhorada do modelo de aerossol NOAA-NGAC para mostrar a previsão do percurso da referida pluma ao longo de toda a Bacia do Atlântico nos quatro dias seguintes.


AREIAS E FURACÕES

A "Camada de Ar Sáariana" desempenha um papel importante na redução "ciclogénese," ou a formação de furacões no Atlântico Ocidental (EUA-Caraíbas).

terça-feira, 17 de maio de 2016

2084 é a metáfora sobre o mais absoluto totalitarismo político e religioso alguma vez concebido


Cliquem na imagem para ler excerto do livro em PDF


A TRADUÇÃO QUE FALTAVA DO MELHOR LIVRO DO ANO - PRÉMIO GALLIMARD 2015   

Boualem Sansal é pouco conhecido nos países de língua portuguesa porque convenientemente obliterado. Aqui, em Portugal o silêncio foi total apesar de ser um prémio Gallimard (um prémio sempre tão comentado noutras edições...). Durante um ano faltou coragem para traduzir este livro, finalmente temos agora a edição da Quetzal por 17 euros.



A GÉNESE DE 2084    

Boualem Sansal viu chegar os islamistas (actualmente designados por "Radicais Islâmicos") ao seu país, na década de 80 - com a América a aplaudi-los, porque eles enfraqueciam o poder da FLN, que ainda tinha, embora tensas, relações com a França (e, como sempre, os americanos a aproveitar para afastar as antigas potências coloniais, apesar de aliadas).

Em França, e nas ditas «sociedades democráticas», todos rejubilaram, nesses anos, com as vitórias eleitorais dos radicais islâmicos. A História, nesses dias de pré-Primavera, só não se adiantou 20 anos, com os desastres das primaveras árabes, porque os militares argelinos e a sociedade civil, sobretudo mulheres, não aceitaram ser degolados.


sexta-feira, 13 de maio de 2016

exemplo de capa de um trabalho escolar



COMO FAZER UMA CAPA DE UM TRABALHO ESCOLAR   

nota: Usar uma imagem na capa de um trabalho não é obrigatório. Aliás, mais vale não a incluir porque, por norma, é sempre algo demagógico e nada pertinente.